Uma breve curadoria no Instagram de fontes, canais e informações sobre o que está rolando no Afeganistão

 

Cidadãos afegãos na pista do aeroporto de Kabul buscam uma forma de escapar. Foto de Wakil Kohsar

Desde sábado, me encontro imersa nas redes em busca de informações, fotos, relatos, textos e análises sobre a situação dramática que acontece no Afeganistão. Comecei esta busca pelas mídias tradicionais brasileiras e o que mais me chamou atenção foi que a notícia sobre a tomada de poder pelo Talibã foi dada como uma grande surpresa, como se esse caldo não tivesse sido posto pra ferver desde o início do ano com o anúncio da retirada da ocupação norte-americana. Alguma hora, essa bomba iria explodir, mas a gente estava meio letárgico a esse respeito, ou ocupados demais com a CPI da Covid e com as mazelas de um país imerso em uma crise política, sanitária e econômica. Eu mesma estava totalmente focada no retorno da CPI para os noticiários diários e até ansiosa pelos novos depoimentos.

Depois, passei para outros canais de mídia, jornalistas independentes e para os canais tradicionais internacionais e o universo discursivo e a diversidade de informação se ampliaram bastante. Nessa busca, encontrei jornalistas da Al Jazeera reportando através de Stories do Instagram, encontrei lindos trabalhos fotográficos – e mais poéticos – que mostram um Afeganistão para além da guerra, vídeos e relatos em textos e fotos que ressaltam o risco iminente de perda de direitos das mulheres e meninas. Ainda no Instagram, encontrei profissionais compartilhando conteúdos importantíssimos de outros jornalistas, fazendo relevantes  traduções para o inglês e vi imagens, além dos impressionantes registros de pessoas em fuga, de pessoas que protestam apesar do imenso risco. 

Vi uma rede que pulsa e busca compartilhar relatos de quem está ali e precisa mostrar a sua realidade, pois reconhece a importância da boa informação em meio à tanta desinformação, mas principalmente diante da possibilidade de que esse fluxo de informação cesse a qualquer momento. 

Girando a roda da informação, compartilho aqui a curadoria que fiz nesses últimos dias, na certeza de que essas imagens, esses vídeos e esses relatos possam construir um melhor entendimento do nosso mundo:

 

Ahmad Shah Mohibi – @ahmadsmohibi 

Jornalista e analista. Está fazendo curadorias de conteúdos em seu perfil no instagram e divulgando algumas de suas análises.

 

Charlotte Bellis – @charlottebellis

Jornalista da Al Jazeera, reportando diretamente de Cabul.

 

Jim Huylebroek – @jimhuylebroek

Fotógrafo independente baseado no Afeganistão.

 

Roya Heydari – @roya_heydari

Fotógrafa Afegã 

 

Wakil Kohsar – @wakil.kohsar

Fotógrafo Afegão 

 

Bruno Itan – @brunoitan

Fotógrafo carioca, morador do Jacarezinho que cobre o cotidiano das favelas cariocas. Bruno está fazendo uma bela e criteriosa curadoria de conteúdos sobre a situação política e humanitária no Afeganistão.

 

Petit Journal – @tbaghdadi e @danielsousaeconomista

Podcast diário com Tanguy Baghdadi e Daniel Sousa sobre economia e política internacional. Os programas apresentam excelentes análises sobre a situação atual no Afeganistão do ponto de vista da política internacional. 

 

Nos canais tradicionais para quem lê em inglês vale acompanhar a Al Jazeera, a BBC News e a Reuters e a AFP sempre nos apresentando coberturas fotográficas impactantes. 

 

 

Por Cecília Figueiredo – Professora no curso de jornalismo da UFRRJ e Jullyana Barreto – Aluna do curso de jornalismo da UFRRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *